Programa de retirada segura de amálgama (protocolo ultra seguro IAOMT)

O amálgama é aquela restauração escura, antiga e antiestética, que contém mercúrio, um metal pesado extremamente tóxico que forma uma liga com outros metais: prata, cobre, estanho. Resíduos de mercúrio se desprendem aos poucos desse restauro e se depositam progressivamente no sistema nervoso central, onde essa substância se acumula.  Intoxicações crônicas de mercúrio estão associadas a doenças como

Alzheimer e Parkinson. Essa substância pode também afetar função renal, sistema imune, endócrino e muscular bem como do sistema nervoso periférico. O mercúrio atravessa também a placenta e se deposita no sistema nervoso do feto e é também liberado no leite materno; por isso é sugerido que mulheres que queiram engravidar devem remover seus amálgamas antes.  Outros efeitos do mercúrio observados em intoxicações crônicas são irritabilidade, insônia, perda de memória, falta de concentração, ansiedade, depressão, fraqueza, fadiga, anorexia, perda de peso e distúrbios gastrointestinais.

O mercúrio liberado por essas restaurações pode causar intoxicações e doenças sistêmicas? A quantidade de mercúrio liberado no organismo depende obviamente da quantidade de restauros, da qualidade da liga, do que é mastigado e de como é mastigado, se há bruxismo ou não. Sabemos que existem pessoas mais sensíveis, que o mercúrio é cumulativo principalmente no sistema nervoso central e que esse metal hoje está disseminado no meio ambiente, em vacinas, nos nossos peixes.  Podemos supor, sem exageros, que essa somatória de fontes pode acarretar níveis acima dos níveis não tóxicos no organismo. (//iaomt.org/dental-amalgam-mercury-exposure-human-health-risks-throughout-life-span/ ).

É claro que não utilizamos esse material na Clínica Aqua Vitae quando reconstruímos com arte os dentes dos nossos pacientes, porém é a sua remoção, para substituí-lo por um material inerte e inócuo, que oferece os riscos.  Pela sua natureza, o mercúrio é liberado parcialmente na forma de vapor, que pode ser inalada pelo paciente e pelos profissionais de saúde; na sua forma particulada, iônica, pode ser aspirado durante o procedimento. Os resíduos liberados no esgoto poluem o ambiente.  Por isso, a IAOMT (Academia Internacional de Medicina Oral e Toxicologia) preconiza um protocolo ultra seguro, que adotamos aqui na Clínica Aqua Vitae, que garante que nada do vapor seja inalado, nem que os resíduos sejam aspirados ou liberados no meio ambiente.

Nossa Médica Funcional da Clínica, em colaboração com nossa Odontologia Biológica, elaborou um suplemento especial para ser tomado antes e depois da remoção desse material para dar uma proteção extra e garantir que nada fique retido no organismo. Nossa Dentista Homeopata sugere um detox homeopático especial pós-remoção de todas restaurações, que elimina os resíduos de mercúrio acumulados durante os anos nos tecidos.  Também tomamos o cuidado de usar materiais restauradores de resina livres de bisfenol A.

Para quem é indicado:

  • Mulheres que querem engravidar;
  • Pessoas que apresentam sintomas das doenças acima descritas (Parkinson, Alzheimer, tremores, convulsões, falta de equilíbrio, confusão mental e concentração) e que tenham restauros grandes e/ou vários;
  • Pessoas que entendem os riscos e desejam remover esses restauros com segurança para si, para o dentista e para o meio ambiente.

 

Dra. Elisa Baumgarten
Cirurgiã-Dentista e Homeopata
CRO/SC 8.724

Falar pelo WhatsApp