Pensando em engravidar? Preste atenção nestes detalhes!

Acompanhe o raciocínio: a descoberta de uma gravidez, quase sempre, implica em uma série de mudanças na casa, certo? Mais do que decorar o futuro quarto do bebê, muitas vezes é preciso reformar o imóvel por completo, para que os pais e filho se adaptem, da melhor forma possível, à nova fase. O organismo da mulher é como o lar. Quem tem o privilégio de se preparar para engravidar beneficia a si e, principalmente, ao bebê.

Ouça este conteúdo:

 

É por isso que os cuidados do pré-natal devem começar antes da concepção. Ao mesmo tempo, devem ser multidisciplinares, abrangendo questões médicas, odontológicas, comportamentais, entre outras.

Neste artigo, a Dra. Elisa Baumgarten, dentista biológica da Clínica Aqua Vitae, destaca a importância da saúde bucal para quem pretende engravidar. Há, também, informações valiosas sobre cuidados, em geral, com a saúde. Para ter uma gestação e um puerpério saudáveis, siga as orientações!

Cuidados bucais para quem deseja engravidar

“Quem pretende engravidar precisa estar em dia com a saúde bucal. Ir ao dentista previne a ocorrência de emergências durante a gravidez, por conta de problemas não diagnosticados”, explica Dra. Elisa, que exerce a odontologia em Florianópolis.

Na maioria das vezes, a consulta odontológica pré-concepcional se dedica a descartar doenças periodontais. Mas também podem ser realizados alguns procedimentos, como explicado a seguir.

Descartar doenças periodontais

periodontite, ou doença inflamatória da gengiva, é um fator de risco para o diabetes gestacional, bem como para a ocorrência de partos prematuros. Para identificá-la, o dentista solicita uma radiografia e, se necessário, inicia o tratamento. “Uma mulher nunca deve engravidar com uma periodontite ativa”, reforça a odontologista.

Remover amálgamas

Quem deseja engravidar deve se planejar para remover os amálgamas com a máxima antecedência possível. “Para isso, o dentista responsável precisa seguir o Protocolo Ultra Seguro IAOMT, pois o mercúrio (um tipo de metal pesado presente em restaurações antigas) pode afetar a saúde mental do bebê”, explica Dra. Elisa.

Fazer restaurações do bem

O bisfenol-A (BPA), substância presente em restauros odontológicos feitos com resinas convencionais, pode levar à disrupção endócrina (alterações prejudiciais nas funções hormonais). “Caso seja preciso fazer uma restauração, deve-se fazer uma ‘restauração do bem’, ou seja, livre desse componente”, diz a dentista.

Cuidados bucais após a confirmação da gravidez

Os cuidados bucais após a confirmação da gravidez são, basicamente, os mesmos do período pré-concepcional. Mas a Dra. Elisa explica que, como o aumento da salivação e dos sangramentos gengivais (sem doença periodontal) são normais na gravidez, a gestante precisa receber uma boa orientação de higiene do seu dentista.

Já no caso de uma gravidez não-planejada, é importante visitar o odontologista o mais cedo possível. Dessa forma, pode-se diagnosticar problemas e iniciar os respectivos tratamentos.

A Dra. Elisa explica que, durante a gestação, há o aumento do estrógeno, um hormônio que eleva a vascularização das mucosas. “Por conta disso, uma pequena placa bacteriana, que passaria despercebida em períodos normais, pode evoluir para uma periodontite, colocando mãe e filho em risco”, exemplifica.

Tratamentos dentários durante a gravidez

Ainda que seja possível fazer tratamentos odontológicos durante a gravidez, esse não é momento ideal. Fora o desconforto físico, o uso do raio-X é contraindicado e existem limitações quanto às anestesias.

De fato, a maioria dos dentistas prefere não aplicar anestesias nos quatro primeiros meses e no último trimestre da gestação. Isso evita associá-las à ocorrência de abortos ou partos prematuros — ainda que as anestesias não provoquem essas situações, as pacientes podem ter receio.

Hábitos contraindicados para quem pretende engravidar

Basta uma rápida análise do lixo doméstico para perceber o quanto estamos expostos a compostos tóxicos no dia a dia. Muitos destes compostos podem conter disruptores endócrinos, que devem ser evitados, principalmente, por grávidas e crianças — indivíduos mais vulneráveis aos seus efeitos.

Disruptores endócrinos são substâncias químicas que interferem no funcionamento dos hormônios, levando a doenças crônicas e outros prejuízos à saúde. A boa notícia é que é possível minimizar seus impactos.

Para isso, evite o consumo ou o contato com alimentos e objetos que contêm esses elementos tóxicos. Por exemplo:

  • frutas, legumes e verduras produzidos como commodities, cheios de agrotóxicos;
  • alimentos e bebidas enlatados ou acondicionados em embalagens plásticas, que podem ser contaminados por ftalatos e bisfenóis;
  • cremes dentais com flúor, por conta dos fluoretos;
  • papel térmico, usado em cupons fiscais, por ter bisfenol A (BPA);
  • inseticidas, por conterem vários componentes considerados disruptores endócrinos;
  • cosméticos (como produtos para a pele e cabelos, perfumes, desodorante, esmaltes, maquiagens etc), pois a maioria contém ftalatos.

Hábitos que são favoráveis à gestação

Dra. Elisa explica que, no período pré-concepcional, deve-se acentuar os pilares básicos da saúde. “Manter uma boa higiene, evitar o estresse e ter uma boa alimentação (baseada em produtos frescos e orgânicos) são medidas que previnem inflamações e reforçam a imunidade.”

Já no período gestacional, as recomendações gerais para os cuidados pré-natais devem priorizar:

  • uma dieta saudável e a prática regular de atividades físicas, para evitar o ganho excessivo de peso e a obstipação, melhorando o trato intestinal;
  • a suplementação oral, feita diariamente, de ferro e ácido fólico, para prevenir anemia, parto prematuro, baixo peso à nascença e infecção puerperal;
  • o controle da hiperglicemia, caso seja necessário;
  • não fumar nem ser exposta ao fumo passivo;
  • não ingerir bebidas alcoólicas nem usar quaisquer tipos de drogas.

Papel da medicina funcional durante a preparação

A medicina funcional oferece uma abordagem ideal para quem pretende engravidar. Isso porque ela busca promover a saúde do organismo como um todo.

Para isso, combina áreas da medicina convencional e terapias complementares. Ao mesmo tempo, considera a individualidade de cada paciente, dando preferência a intervenções não farmacológicas.

Para combater a contaminação por metais pesados (como mercúrio, arsênico, chumbo entre outros), por exemplo, o médico funcional:

  1. identifica o tipo de contaminação, por meio de exames e de uma anamnese detalhada;
  2. traça uma estratégia para ajudar a paciente a reduzir a exposição ao agente contaminante no dia a dia;
  3. estimula o processo de desintoxicação natural do organismo, por meio da nutrição e, quando necessário, de sessões de sauna, suplementos e da prática de atividades físicas, etc;
  4. usa quelantes (como cisteína, glutationa, arginina, entre outros agentes), em casos de acumulações mais graves.

Assim, está claro porque o acompanhamento das futuras mamães deve ser feito, preferencialmente, por uma equipe multidisciplinar, e não apenas pelo obstetra. Afinal, um cuidado completo implica em muitos detalhes. O dentista biológico e o médico funcional, entre outros profissionais, podem indicar quais medidas devem ser adotadas para melhorar os hábitos de vida e a saúde da mulher, preparando-a para uma gestação tranquila e saudável!

E você? Já se sente preparada para a maternidade? Então, agende uma consulta pelo WhatsApp ou por e-mail e planeje sua gravidez com saúde!