Conheça as quatro fases da psicoterapia

Jung observou que, de acordo ao desenvolvimento do olhar analítico dentro das psicologias de sua época, a psicoterapia ou análise engloba quatro grandes fases. Compartilho minhas impressões a respeito de cada uma:

  • Catarse ou ab-reação: fase de reconhecimento e elaboração de afetos relacionados a situações reprimidas, traumas, desejos inapropriados, mágoas, angústias…
  • Esclarecimento: uma vez reconhecidos alguns conteúdos, o esclarecimento é uma fase de elaboração mais profunda, incluindo a desmistificação de crenças inconscientes, a reflexão, o discernimento entre atitudes e padrões “herdados” e as pulsões e desejos autênticos. Nesta fase é intenso o trabalho sobre o encontro com uma identidade própria;
  • Educação: esclarecida a natureza de nossa psique e seus conteúdos, e tendo a identidade como um “fio de Ariadne” – fio condutor, agora é preciso transformar hábitos, adequar as circunstâncias às novas expectativas, de forma a poder fluir pela vida de forma mais autêntica;
  • Transformação: essa é a principal etapa e, na minha percepção, é um elemento transversal, ou seja, que perpassa as demais fases também. Na etapa da transformação, Jung leva em conta a interferência mútua tanto do consciente quanto do inconsciente do paciente e do terapeuta, o que impõe um compromisso ético e moral do terapeuta com seu próprio processo de transformação.  Trata-se do elemento que irá roçar os limiares do contato verdadeiro com a alma, essa misteriosa borboleta inquieta que nos convida a segui-la rumo ao desconhecido. Difícil falar da alma e da transformação sem recorrer às metáforas…

E você? Como está seu compromisso com sua alma?

Esse longo, árduo e belíssimo cultivo começa com um primeiro passo.

Falar pelo WhatsApp