A importância do intestino para todo o corpo

Desde que foi constatada a importância do intestino para a saúde e a qualidade de vida (principalmente, em relação ao humor, concentração e sexualidade), a atenção ao órgão passou a fazer parte de tratamentos multidisciplinares de diferentes distúrbios e doenças. Para os especialistas, os benefícios desse cuidado vão muito além de prevenir prisões de ventre, gases e inchaço abdominal. Têm a ver com o bom funcionamento de todo o organismo, pois ajudam a prevenir doenças, aumentar o bem-estar e, até mesmo, alcançar a boa forma.

Quer saber mais? A Dra. Andrea Baumgarten, médica funcional da Aqua Vitae, mostra as principais contribuições de um intestino saudável para o corpo todo. Confira!

Ouça este conteúdo:

Qual é a participação dos micro-organismos no corpo humano?

No livro “10% humano — como os micro-organismos são a chave para a saúde do corpo e da mente”, a escritora e doutora em Biologia Evolutiva, Alanna Collen, explica que as pessoas têm, somente, 10% de DNA humano e os demais 90% são DNA microbiano.

Dra. Andrea explica que esse percentual é determinado pelas bactérias que existem na boca, pele, vagina, orelha, entre outras cavidades. Cada pessoa tem aproximadamente 390 trilhões de bactérias, as quais habitam, principalmente, os intestinos. Sabemos ainda que não possuímos apenas bactérias, mas também fungos, leveduras, vírus e príons que constituem o microbioma humano. 

O que é e como age o chamado Microbioma Humano?

O microbioma humano é um verdadeiro ecossistema que vem evoluindo conosco desde o início dos tempos. Ele está atrelado às nossas funções celulares de diversas formas e a saúde deste microbioma depende de nossa alimentação, uso ou não de medicações, nível de certos nutrientes, estresse, uso de álcool, tabaco e infecções. Os melhores combustíveis para alimentar estes micróbios benéficos são todos aqueles que possuem alta densidade de fibras em sua composição, e que sejam pobres em carboidratos.  

Qual é a importância do intestino para a saúde do organismo?

A importância do intestino decorre da sua ligação com a saúde do organismo como um todo. “Um dos principais destaques é a função do microbioma (bactérias, fungos, vírus e leveduras que moram dentro do intestino) no corpo”, afirma a médica. Segundo ela, as principais contribuições de um intestino saudável são:

1. Colaborar com a produção de vitaminas

As bactérias são fundamentais para a produção de determinadas vitaminas, como a K2 (que atua na fixação do cálcio nos ossos). “As vitaminas são cofatores, ou seja, fatores essenciais em diversas vias metabólicas”, explica Dra. Andrea.

Quando há alguma deficiência, ocorrem bloqueios metabólicos — o que dificulta o emagrecimento, aumenta o risco cardiovascular e leva a doenças autoimunes, câncer, depressão, Alzheimer, Parkinson, entre outras. “As consequências são diversas”, conclui.

2. Ajudar no bom funcionamento do cérebro

Segundo a médica, 90% do triptofano é sintetizado no intestino. Esse aminoácido é utilizado pelo cérebro na produção de diversos neurotransmissores, entre eles a serotonina.

Sabe-se que uma das alterações bioquímicas da ansiedade e da depressão é a redução da produção da serotonina. Por esse e outros motivos, o intestino é tão importante para a saúde do cérebro.

Existem alguns estudos, ainda, que apontam que príons ascendam o nervo vago (nervo que comunica o intestino e estômago ao cérebro) e produzem a ativação e depósito de moléculas chamadas alfa-silucreínas, proteínas relacionadas com o desenvolvimento da Doença de Parkinson. 

3. Cuidar do sistema imunológico

Cerca de 70% das imunoglobulinas existentes no corpo são produzidas no intestino, assim como as proteínas de defesa. “Quem não tem um intestino saudável, não tem uma imunidade boa”, afirma Dra. Andrea.

É o caso de pessoas com diarreia, distensão abdominal com muitos gases, eructação (arrotos frequentes), doença do refluxo, doença celíaca ou outros tipos de doenças inflamatórias intestinais, como retocolite ulcerativa ou Doença de Crohn. “Estudos mostram, inclusive, que a constipação é um dos sinais precoces da Doença de Parkinson”, exemplifica.

Já sabemos também que uma das causas para doenças auto-imunes é a alteração da microbiota intestinal. 

Qual é a relação entre bactérias ruins e doenças entre mulheres?

A ingestão de muitos carboidratos e poucas fibras faz com que bactérias ruins se proliferem nos intestinos. Essas bactérias produzem uma enzima que, em vez de eliminar o excesso de estrogênio (como fazem as bactérias boas), o reabsorve.

Assim, a pessoa que não se alimenta adequadamente tem maior propensão a ter endometriose, câncer de mama, entre outras doenças do aparelho feminino. Além disso, pode ter cólicas menstruais excessivas e tendência à obesidade ginecóide (ganho acentuado de peso nos quadris, glúteos e coxas).

Agora que você entendeu a importância do intestino, procure melhorar a qualidade do microbioma! Sintomas que a maioria da população considera simples, como a constipação  recorrente, pedem uma abordagem global e tratamento individualizado. Ao diagnosticar as causas do distúrbio, pode-se indicar mudanças na alimentação, no estilo de vida e, se necessário, prescrever medicamentos. 

Atualmente, a síndrome do intestino irritável é vista de uma forma completamente diferente. Antes, acreditávamos que a causa era apenas psíquica, mas já sabemos das dezenas de fatores que a influenciam e a causam.

Para saber mais sobre a sua saúde, agende uma consulta de medicina funcional em Florianópolis com a Dra. Andrea. Preencha o formulário online, ligue para (48) 3024-3400 ou entre em contato pelo WhatsApp.

Escrito por:
Dra. Andrea Baumgarten
CRM 19.466 | RQE 14.022

Formada em medicina pela UFSC, é especialista em clínica médica, pelo Hospital Regional de São José, e concluiu sua formação em Medicina Funcional, pelo The Institute for Functional Medicine. Seu interesse é focado na atenção integral, no uso racional das medicações e no tratamento compartilhado entre paciente e médico. Saiba mais sobre a Dra. Andrea.